Nota de esclarecimento sobre interrupção de atividade cultural na UFSC

22/05/2023 16:44

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) esclarece que o projeto de extensão “Coletivo Afro-Floripa: práticas percussivas e corporais da cultura de matriz africana e afro-brasileira na Grande Florianópolis” está cadastrado no Sistema Integrado de Gerenciamento de Projetos de Pesquisa e de Extensão (Sigpex) desde janeiro de 2021. E que desde 2002 o Maracatu Arrasta Ilha, uma das entidades envolvidas, realiza atividades de aulas práticas de dança e percussão no espaço público da Universidade.

O projeto está plenamente integrado aos objetivos e atividades-fim da Universidade, já tendo originado artigos científicos (pesquisa), colaborado para formação de estudantes de graduação (ensino) e levado arte e cultura para a comunidade (extensão), além de apresentar a Universidade a centenas de pessoas.

Por isso, a Universidade foi surpreendida e viu com estranheza a ação de policiais militares de interromper a aula de dança do Maracatu Arrasta Ilha que se realizava no domingo, 21 de maio, na área central do campus. A ação da PM, segundo os policiais, teria sido motivada por reclamações de perturbação do sossego feitas por moradores da vizinhança da Universidade.

Em vista do ocorrido, a UFSC está solicitando reunião com o comando da Polícia Militar para que o atendimento dessas ocorrências seja pautado pelo diálogo e busca de equilíbrio entre o direito ao sossego dos cidadãos e o direito coletivo de participar de manifestações culturais.

A UFSC reafirma que respeita a comunidade da vizinhança e apoia muitas de suas demandas e interesses, além de seguir as leis. No entanto, defende sua autonomia e liberdade para realização de atividades que também trazem benefícios à sociedade, como a valorização da cultura de matriz africana e da própria cultura brasileira, que é o caso do mencionado projeto de extensão.

 

Tags: Coletivo Afro-FloripaculturaMaracatu Arrasta IlhaUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Assinado o acordo de cooperação para criação da Rádio UFSC

22/05/2023 10:43

Luciana Couto e Israel Franke Silva, da EBC, estiveram na UFSC para tratar do processo de criação da Rádio UFSC (Foto: Luís Carlos Ferrari/Secom)

O processo para criação de uma rádio da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) está avançando. O Acordo de Cooperação foi assinado entre a direção da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) e o reitor Irineu Manoel de Souza. O documento foi trazido em mãos pela gerente da Rede Nacional de Comunicação Pública de Rádios (RNCP-Rádios), Luciana Couto, que esteve em Florianópolis na quarta-feira, 17 de maio. É um passo fundamental para a implantação da Rádio UFSC, processo que foi iniciado na gestão do professor Ubaldo Balthazar e envolveu a recém-criada Secretaria de Comunicação (Secom/UFSC).

O Acordo tem prazo inicial de 10 anos e prevê a adoção de ações conjuntas entre a EBC e a Universidade para implantação, operação e transmissão de rádio pelo canal 196, consignado à EBC, na Frequência Modulada (FM) de 87,1 MHz. A Rádio UFSC será afiliada da RNCP-Rádios, uma rede criada em 2019 e que conta com 36 emissoras, das quais sete são próprias da EBC. A EBC fornecerá os equipamentos do sistema irradiante e apoio técnico; a contrapartida da UFSC é montar o estúdio e contratar a equipe para operar a emissora, que terá finalidades educativas.

Luciana estava acompanhada do engenheiro de rádio e TV da EBC Israel Franke Silva. Ele visitou locais na TV UFSC e no Morro da Cruz, em Florianópolis, para verificar aspectos técnicos relacionados ao projeto. De acordo com o engenheiro, há viabilidade para instalação dos equipamentos, com adequações na rede elétrica e no sistema de climatização da sala onde ficará o transmissor.

Os próximos passos do processo deverão ocorrer paralelamente: a aquisição dos equipamentos do sistema irradiante e o licenciamento do canal junto à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). A expectativa é de que em até 12 meses a Rádio UFSC esteja operando, desde que o governo federal revogue as portarias que impedem a contratação de jornalistas, por exemplo. Pelo acordo, Rádio UFSC poderá ter até 20 horas de programação local.

Luciana e Israel foram recebidos na UFSC pelo professor Bernardo Meyer, chefe de Gabinete da Reitoria; a jornalista da TV UFSC Laura Tuyama; o jornalista da Secretaria de Comunicação Luís Carlos Ferrari e por Áureo Mafra de Moraes, professor do curso de Jornalismo e chefe de Gabinete quando as tratativas começaram, no final de 2021.

Tags: EBCRádio UFSCSecretaria de ComunicaçãoUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Solenidade marca despedida do professor Pilati e posse da nova direção do CCJ

18/05/2023 15:26

Professor Pilati era decano do Conselho Universitário e aposentou-se recentemente (Fotos: Luís Carlos Ferrari / Secom)

Uma cerimônia repleta de emoção marcou a despedida do professor José Isaac Pilati e a posse da nova direção do Centro de Ciências Jurídicas (CCJ) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). O evento foi realizado na segunda-feira, 15 de maio, no auditório da Reitoria, e contou com a presença de estudantes, ex-alunos, professores, familiares, gestores da UFSC e autoridades públicas. Pilati, que era decano do Conselho Universitário (CUn) e diretor do CCJ, aposentou-se no começo de maio.

Na ocasião, houve a transmissão de cargo para a nova direção do CCJ, formada pelas professoras Carolina Medeiros Bahia (diretora) e Melissa Ely Melo (vice-diretora). É a segunda vez, em 90 anos do curso de Direito, que o Centro será administrado por uma dupla de mulheres. Elas receberam, das mãos da vereadora Carla Ayres, a moção de aplauso aprovada por unanimidade pela Câmara de Vereadores de Florianópolis por sua eleição para dirigir o Centro de Ensino.

A mesa da solenidade foi formada pelo reitor Irineu Manoel de Souza; os professores José Isaac Pilati, Samuel da Silva Mattos, Carolina Medeiros Bahia e Melissa Melo; o estudante Lucas Rigoli, representante do Centro Acadêmico XI de Fevereiro (Caxif) e a representante do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) Érika Reupke. A parte artística do evento ficou a cargo da soprano Claudia Todorov e do pianista Ricardo Moritz.

Primeiro a falar, o professor Samuel Mattos fez um balanço da gestão 2019-2023 do CCJ, em que foi vice-diretor. Ele citou os desafios enfrentados pela comunidade do Centro durante a pandemia de Covid-19 e também as conquistas, como a contratação de uma plataforma digital com uma biblioteca jurídica. Em seguida, o professor Márlio Aguiar abordou a trajetória acadêmica e pessoal do professor Pilati e falou sobre a convivência entre colegas.

Professoras Carolina Bahia (D) e Melissa Melo (E) receberam moção de aplauso entregue pela vereadora Carla Ayres

Um ponto alto da solenidade foi a fala do homenageado. O professor José Isaac Pilati discorreu sobre a sua vida, desde a infância, e também sobre sua formação acadêmica e profissional, com diversas citações de saberes jurídicos e filosóficos. Dirigiu palavras de agradecimento aos seu familiares, colegas e ao professor Samuel, pela sua fidelidade e dedicação na missão de dirigir o CCJ.

Também discursaram no evento as professoras Melissa Melo e Carolina Bahia.

O reitor Irineu Manoel de Souza fez uma fala breve em que parabenizou os professores Samuel e Pilati pelo “excelente trabalho realizado nos últimos quatro anos”. Disse que o professor Pilati inspirou muitos jovens que hoje atuam em diversos setores da sociedade. Também parabenizou as novas diretoras do CCJ e colocou o Gabinete da Reitoria à disposição para auxiliá-las na gestão.

Tags: Centro de Ciências JurídicasJosé Isaac PilatiUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Representantes do Fórum de Reitores reúnem-se com secretário estadual de Educação

16/05/2023 16:15

Secretário de Educação recebeu em seu gabinete os integrantes do Fórum de Reitores (Foto: Divulgação)

Representantes do Fórum de Reitores de Instituições Públicas de Educação Superior de Santa Catarina reuniram-se na sexta-feira, 12 de maio, com o secretário estadual de Educação, Aristides Cimadon. O encontro ocorreu na sede da Secretaria, em Florianópolis.

O Fórum foi representado pelo reitor da UFSC, Irineu Manoel de Souza; Josefa Surek, pró-reitora de Ensino do Instituto Federal Catarinense (IFC); Lucas Barchinski, diretor executivo do IFC e Vinicius De Luca Filho, assessor do reitor do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC). O professor Irineu estava acompanhado do Chefe de Gabinete da Reitoria, Bernardo Meyer.

Pela secretaria de Educação participaram o secretário Aristides Cimadon; a diretora de Ensino, Sônia Regina Victorino Fachini e o diretor de Planejamento e Políticas Educacionais, Marcos Roberto Rosa.

A reunião teve como motivação apresentar o Fórum de Reitores ao governo estadual e falar sobre seus objetivos e estratégias. Também foram abordadas as possibilidades de colaboração entre as instituições de ensino e o governo estadual, que mostrou interesse em iniciativas voltadas para o ensino médio.

O Fórum de Reitores de Instituições Públicas de Educação Superior de SC é formado pelos dirigentes máximos da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), do Instituto Federal Catarinense (IFC) e da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS).

Criado em 2013, o Fórum retomou suas atividades em fevereiro deste ano, com o propósito de atuar de forma integrada em defesa da universidade pública. As instituições integrantes do Fórum estão presentes em 39 cidades catarinenses e têm quase 120 mil alunos matriculados em cursos técnicos e profissionalizantes, de graduação, especialização, mestrado e doutorado. Juntas, desenvolvem mais de 4 mil projetos de pesquisa e suas ações de extensão alcançaram um público de mais de 1,6 milhão de pessoas em 2022.

 

Tags: Fórum de ReitoresSecretaria estadual de EducaçãoUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

UFSC firma parcerias com MPSC nas áreas de saúde pública e inteligência artificial

09/05/2023 12:32

Reitor da UFSC, Irineu Manoel de Souza, assina convênio ao lado do Procurador-Geral de Justiça, Fábio de Souza Trajano. Foto: Carlos Rocha/MPSC

Contribuir para a efetividade do direito fundamental à saúde. Esse é o objetivo de um convênio firmado nesta segunda-feira, 8 de maio, entre a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e o Ministério Público de Santa Catarina (MPSC). O acordo prevê a formação de uma câmara técnica de trabalho que construirá ferramentas de análise, avaliação, acompanhamento e fiscalização da política pública de saúde no Estado de Santa Catarina, especialmente na rede de Atenção Primária.

O grupo será formado por membros de ambas as instituições e coordenado conjuntamente pelo Departamento de Saúde Pública do Centro de Ciências da Saúde (CCS) e o Centro de Apoio Operacional da Saúde Pública do MPSC. Os resultados constituídos servirão de apoio para as Promotorias de Justiça com atribuição na área da Saúde Pública, comunidade acadêmica e público em geral para a criação de diagnósticos, análises de dados e orientações técnico-jurídicas relacionadas ao acompanhamento da Atenção Primária em Saúde, maior porta de entrada para a rede de apoio do Sistema Único de Saúde (SUS).  

A Câmara Técnica também irá levantar evidências científicas, pesquisas e orientações técnico-jurídicas relacionadas à Saúde Mental e à organização da Rede de Atenção Psicossocial (RAPS). Além disso, fornecerá dados e diagnósticos das políticas existentes nos Conselhos Municipais de Saúde e o cumprimento dos Planos Municipais de Saúde.

“A assinatura de mais um convênio do Ministério Público agora com a Universidade Federal, vai propiciar uma melhoria na qualidade da prestação desse serviço tão importante que é a saúde, com a implementação de políticas públicas, a busca de boas práticas e a detecção a necessidade de um uma correção de rota, colocar todos os atores em uma mesma mesa e buscar a melhor solução. Esse é o grande objetivo desse convênio”, destacou o Procurador-Geral de Justiça do MPSC, Fábio de Souza Trajano. 

Reunião entre representantes da UFSC e do MPSC aconteceu nesta segunda-feira, 8 de maio Foto: Carlos Rocha/MPSC

O reitor da UFSC, Irineu Manoel de Souza, salientou que a parceria “é realmente um convênio muito importante para a sociedade, para o Ministério Público, para a valorização do Sistema Único de Saúde”.

O diretor do Centro de Ciências da Saúde (CCS), Fabrício de Souza Neves, diz que a parceria tem o objetivo de alinhamento dos recursos humanos das duas instituições para investir em pesquisa e inovação voltadas para as necessidades da sociedade. Ele afirmou ainda que a UFSC poderá até atuar na prestação de serviços, planejando, testando e validando modelos de atendimento para as necessidades do SUS.

O professor Rodrigo Moretti, chefe do Departamento de Saúde Pública, afirmou que a câmara técnica visa assessorar o MPSC tecnicamente, com base em conhecimentos científicos, e propor ações para que o direito à saúde seja cada vez mais próximo do que preconiza a legislação brasileira.

Estiveram presentes na solenidade de assinatura do Termo de Convênio o Subprocurador-Geral para Assuntos Institucionais do MPSC, Paulo Antonio Locatelli, o Coordenador do Centro de Apoio Operacional da Saúde Pública do MPSC, Promotor de Justiça Douglas Roberto Martins, e o Chefe do Departamento de Saúde Pública da UFSC, Rodrigo Otávio Moretti Pires, o Chefe de Gabinete da Reitoria, Bernardo Meyer, o Diretor do Centro de Ciências da Saúde, Fabrício de Souza Neves. 

 

Parceria também na área de Inteligência artificial

Convênio voltado para soluções focadas em inteligência artificial (IA) foi formalizado entre a UFSC, o MPSC e a Fundação de Estudos e Pesquisas Socioeconômicos (FEPESE) Foto: Carlos Rocha/MPSC

Na sequência da reunião, um segundo convênio voltado para soluções focadas em inteligência artificial (IA) foi formalizado entre a UFSC, o MPSC e a Fundação de Estudos e Pesquisas Socioeconômicos (FEPESE). O acordo mobilizou o interesse de 80 pesquisadores da UFSC com propostas que servem a várias das áreas de atuação do Ministério Público, como infância, saúde, qualidade da educação e combate à corrupção. 

Foram definidas três linhas de pesquisa: o uso de IA para a identificação de fraudes em contratos públicos; a extração de dados de atuação diretamente das peças produzidas pelos membros e servidores do MPSC, a fim de encontrar soluções para qualificar os dados do trabalho da instituição em defesa da sociedade e auxiliar o correto uso da taxonomia do Conselho Nacional do Ministério Público nos sistemas do MPSC; e a utilização a IA para projetar a necessidade de leitos hospitalares, inclusive de UTIs, em Santa Catarina, visando prever a demanda e antever a política pública.

Pesquisas serão feitas nas áreas de atuação do MPSC, como infância, saúde, qualidade da educação e combate à corrupção Foto: Carlos Rocha/MPSC

A coordenação e execução das atividades será feita pelo Departamento de Informática e Estatística da UFSC. “A Universidade Federal de Santa Catarina tem feito um movimento forte e constante no sentido de se reaproximar de vários setores da sociedade catarinense e desde o final do ano passado nós temos desenvolvido um diálogo com o MPSC no sentido de aproximar os nossos pesquisadores, nossas unidades de inovação, das necessidades do Ministério Público”, explicou o Professor Jonata Tyska Carvalho, Coordenador do Projeto. 

O Pró-reitor de Pesquisa e Inovação (Propesq), professor Jacques Mick, ressaltou que o projeto consiste na aplicação de técnicas de inteligência artificial à análise de grandes volumes de dados para auxiliar na tomada de decisão inteligente pelo MPSC. 

Participaram da formalização do convênio o Coordenador de Tecnologia e Informação do MPSC, Paulo Cesar Allebrandt; o vice-diretor do Centro Tecnológico (CTC), Sérgio Peters; o chefe do Departamento de Informática e Estatística, Rafael de Santiago; a professora e pesquisadora Simone Silmara Werner; o superintendente de Projetos da Pró-reitoria de Pesquisa e Inovação (Propesq), William Gerson Matias; o vice-diretor do Centro de Ciências Jurídicas (CCJ), Samuel da Silva Mattos; o presidente da Fepese, Mauro Dos Santos Fiuza e o gerente de Projetos, Claiton Varella.

 

Robson Ribeiro/Estagiário da Secretaria de Comunicação/UFSC

Com informações da Coordenadoria de Comunicação Social do MPSC

Tags: atenção primáriaInteligência ArtificialMPSCpolítica pública de saúdeSUSUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina