Participantes de seminário na UFSC elaboram carta para melhoria da segurança no ensino público

04/10/2023 09:47

Participantes do seminário no momento da votação para envio da carta. Foto: Divulgação

Uma carta reivindicando a abertura de concurso público para reposição do quadro de vigilantes, junto à melhoria na capacitação dos servidores e recursos financeiros, será enviada, em 10 de outubro, para cada instituição que participou do 29° Seminário Nacional de Segurança das Universidades Públicas e Institutos Federais (Ifes e EBTTs). O documento foi produzido na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), sede do evento que aconteceu na semana passada, entre 25 e 29 de setembro, no auditório do Centro de Ciências Biológicas (CCB), no Campus de Florianópolis.

Estiveram presentes 168 vigilantes, representando 29 universidades e institutos de todo o Brasil. “A expectativa é que a UFSC encaminhe essa carta e demandas para a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes), que deve encaminhar ao MEC”, afirma Leandro Luiz de Oliveira, secretário de Segurança Institucional (SSI/UFSC) e coordenador nacional desta edição do seminário.

O evento discutiu esse atual déficit de vigilantes nas instituições de ensino público, que resulta em sobrecarga de trabalho. A contratação de novos funcionários permitiria que as universidades e Ifes criassem novas medidas de segurança para os problemas atualmente enfrentados. Além disso, as mesas de debate e as palestras no seminário trouxeram temas como a tecnologia aplicada à segurança, a terceirização do trabalho, a violência de gênero e o combate ao racismo nas instituições públicas.

Encontro ocorreu de 25 a 29 de setembro na UFSC (Foto: Kauê Alberguini/Secom/UFSC)

Além de Leandro, também estiveram presentes no evento: o reitor da UFSC, Irineu Manoel de Souza; a vice-reitora, Joana Célia dos Passos; pró-reitora de Ações Afirmativas e Equidade, Leslie Sedrez Chaves; pró-reitora de Desenvolvimento e Gestão de Pessoas, Sandra Carrieri; secretária de Aperfeiçoamento Institucional, Luana Renostro Heinen; chefe de Gabinete da Reitoria, Bernardo Meyer; e o diretor do Departamento de Segurança, Teles Espíndola.

O seminário contou com a parceria em sua realização do Sindicato de Trabalhadores em Educação das Instituições Públicas de Ensino Superior do Estado de Santa Catarina (Sintufsc), da Federação de Sindicatos de Trabalhadores Técnico-administrativos em Instituições de Ensino Superior Públicas do Brasil (Fasubra) e da Intelbras.

Kauê Alberguini/Estagiário da Secom/UFSC

 

Leia mais em https://noticias.ufsc.br/2023/08/seminario-nacional-discute-seguranca-das-universidades-e-institutos-federais/

Tags: segurançaUFSCUniversidade Federal de Santa Catarinavigilância

Laboratório da UFSC vai elaborar o novo Plano Aeroviário de Santa Catarina

05/07/2023 11:08

Reitor falou da importância da UFSC para o desenvolvimento de SC durante o lançamento do PAESC (Foto: Divulgação)

O reitor Irineu Manoel de Souza representou a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) na solenidade de assinatura da ordem de serviço para a elaboração do Plano Aeroviário de Santa Catarina (Paesc), realizada nesta segunda-feira, 3 de julho, na sede da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc). O plano será desenvolvido pelo Laboratório de Transportes e Logística da UFSC (LabTrans) e inclui um diagnóstico sobre a atual infraestrutura do setor e análise socioeconômica das regiões onde os aeroportos estão localizados, para avaliação do potencial de negócios e necessidade de investimentos.

A cerimônia contou com a presença do governador Jorginho Mello; da vice-governadora Marilisa Boehm; do presidente da Fiesc, Mario Cezar de Aguiar; do vice-presidente da Assembleia Legislativa, Maurício Eskudlark; além de secretários de estado, autoridades políticas e empresários. A UFSC foi representada pelo reitor, o coordenador do LabTrans, Wellington Repette, e o chefe de gabinete, Bernardo Meyer.

“Na execução do Paesc, será realizado o diagnóstico da operação aeroportuária atual com a execução de inventário da infraestrutura dos negócios aeroportuários e análise socioeconômica dos municípios e regiões dos aeródromos. Esses dados principais possibilitarão a atualização das projeções de demandas de passageiros, cargas e aeronaves para então serem definidas e apontadas as ações para o desenvolvimento da rede de aeroportos do Estado de Santa Catarina”, disse o coordenador do LabTrans, Wellington Repette.

A infraestrutura aeroportuária de Santa Catarina é formada por 21 aeroportos, dos quais três são administrados pelo Estado, 13 são delegados pelo Estado aos municípios, quatro são geridos pela iniciativa privada e um é administrado por município. No ano passado, cerca de 6,2 milhões de passageiros utilizaram esses aeroportos e mais de 11,5 milhões de toneladas de cargas foram movimentadas nestes terminais. O último plano aeroviário do Estado foi realizado há mais de 30 anos.

Desenvolvimento eficiente e harmônico

O Plano Aeroviário Estadual (PAE) é o principal instrumento da política de desenvolvimento do Sistema Estadual de Aeroportos. Determina as diretrizes e metas fundamentais que devem ser seguidas e alcançadas para cada horizonte de planejamento estabelecido, bem como os recursos essenciais para o pleno desenvolvimento da infraestrutura aeroportuária. O principal objetivo do Paesc é promover o desenvolvimento eficiente e harmônico da infraestrutura aeroviária do Estado de Santa Catarina.

A última versão do Paesc foi ratificada no ano de 1989 e seu horizonte de planejamento previa ações até o ano de 2008. A atualização do Plano Aeroviário Estadual compreende a redefinição das metas de desenvolvimento de curto (5 anos), médio (10 anos) e longo prazo (20 anos) para as unidades componentes da nova Rede Estadual de Aeroportos, incorporando as diretrizes da legislação aeroportuária e ambiental em vigor.

A partir do diagnóstico da operação aeroportuária atual, com execução de inventário de infraestrutura e dos negócios aeroportuários, será efetuada uma análise socioeconômica para subsidiar a atualização das projeções de demanda (passageiros, carga, aeronaves), para então, definir e apontar ações para o desenvolvimento da rede estadual de aeroportos.

Autoridades e empresários participaram do evento

Nos dez anos pré-pandemia (2010-2019), Santa Catarina apresentou o maior crescimento na movimentação de passageiros entre todos os estados brasileiros, crescendo aproximadamente 5,5% ao ano. Para comparação, no mesmo período, o crescimento do país foi de 2,5% ao ano.

No ano de 2022, 8 aeroportos processaram passageiros em rotas comerciais. Os quatro aeroportos que mais movimentam (Florianópolis, Navegantes, Chapecó e Joinville) estão atualmente com operação concedida à iniciativa privada.

Com a atualização do Paesc será possível reavaliar a sua estrutura e classificação da rede, orientando, deste modo, a elaboração de políticas públicas voltadas para o sistema estadual de aeroportos.

LabTrans

Criado em 1998, o LabTrans/UFSC desenvolve atividades de ensino, pesquisa e extensão. Realiza estudos e projetos nas áreas de engenharia de tráfego; intermodalidade/multimodalidade; logística; sistemas de transporte aéreo, ferroviário, aquaviário e rodoviário e sistema de transporte urbano.

Entre outras atuações, a equipe de pesquisadores catarinense trabalhou na construção do PAN (Plano Aeroviário Nacional) 2018-2038 e poderá alinhar o Paesc com este projeto. Na área do transporte aéreo, o Labtrans também elaborou o projeto de revisão e atualização do Plano Aeroviário do Estado do Paraná e o Planejamento Aeroviário-SAC/PR, que contempla a realização de estudos com objetivo de apoiar o planejamento do Sistema Aeroviário do Brasil, com foco nos aeroportos regionais.

 

Tags: LabTransPlano Aeroviário EstadualUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Reitor representa a UFSC em reunião da Asociación de Universidades Grupo Montevideo

14/06/2023 18:14

Reitoras e reitores da AUGM reunidos na Universidade Federal de Minas Gerais (Foto: Foca Lisboa / UFMG)

O reitor Irineu Manoel de Souza representou a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) na LXXXIII Reunião do Conselho de Reitores e Reitoras da Asociación de Universidades Grupo Montevideo (AUGM), realizada de 4 a 6 de junho na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em Belo Horizonte.

Durante a reunião, foi realizado o Seminário Universidade, Sociedade e Estado, com o título “Rumo à CRES +5: Desenvolvimento Social, Integração Regional e o Papel das Universidades”. Temas como “Universidade e Políticas de Estado”; “Universidade e Sociedade” e “Universidade e Desenvolvimento Social” foram debatidos em mesas-redondas. A AUGM, junto com a Andifes e diversos ministérios, é uma das entidades organizadoras da Conferência Regional de Educação Superior (CRES + 5), que terá sede em Brasília, no mês de março de 2024.

Criada em 1991, a Asociación de Universidades Grupo Montevideo (AUGM) é uma rede de universidades públicas e autônomas da Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Paraguai e Uruguai que, por suas semelhanças em termos de vocações, públicos, estruturas acadêmicas e níveis de serviços, desenvolvem atividades de cooperação.

A UFSC é representada na AUGM pela Secretaria de Relações Internacionais (Sinter), que recentemente teve atuação destacada na revisão do regulamento do programa de mobilidade internacional Escala Grado da Associação, resultando na exclusão do limite de idade para participação no programa.

Tags: AUGMConselho de reitores e reitorasSociedade e EstadoUFSCUniversidadeUniversidade Federal de Santa Catarina

Comitiva da UFSC vai a Brasília em busca de apoio aos estudantes indígenas

07/06/2023 16:22

Estudantes da UFSC e lideranças indígenas se reuniram com representantes do MPI (Fotos: Divulgação)

Uma comitiva formada por gestores, docentes e estudantes indígenas da UFSC esteve em Brasília nos últimos dias em busca de suporte do governo federal para estruturação e consolidação do curso de Licenciatura Intercultural Indígena do Sul da Mata Atlântica (LII) e apoio à permanência dos estudantes indígenas na Universidade. O grupo teve encontros no Ministério da Educação (MEC) e no Ministério dos Povos Indígenas (MPI) para apresentar suas demandas. Após as reuniões, estudantes participaram de manifestações pela rejeição do chamado Marco Temporal, que será julgado pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

A comitiva da UFSC foi liderada pela vice-reitora, Joana Célia dos Passos, e integrada pela pró-reitora de Permanência e Assuntos Estudantis, Simone Sampaio; a pró-reitora de Ações Afirmativas e Equidade, Leslie Sedrez Chaves; a coordenadora de Relações Étnico-raciais da Proafe, Iclícia Viana; a coordenadora do curso de Licenciatura Intercultural Indígena, Juliana Salles Machado; os representantes discentes do curso Edison Rodrigo Pinheiro da Silva e Suzane Benites e as lideranças indígenas Adilson Policeno, Leonardo da Silva Gonçalves e Tukun Gakran.

Na segunda-feira, 5 de junho, o grupo participou de uma reunião no gabinete da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização de Jovens e Adultos, Diversidade e Inclusão (Secadi). Pelo Ministério da Educação estavam presentes o assessor de gabinete, Cleber Santos Vieira; Rosilene Araújo Tuxá, coordenadora-geral de Educação Escolar Indígena e Ludmila Brandão, assessora da Divisão de Formação Especializada (Difes) da Secretaria de Educação Superior (Sesu). O Ministério dos Povos Indígenas foi representado por Jozileia Daniza Kaingang, chefe de gabinete, e Altaci Rubim Kokama, da Articulação de Políticas Educacionais para população originária.

Grupo que participou de reunião no MEC

Na pauta da reunião estavam temas como o apoio do MEC para sanar demandas urgentes para o processo de institucionalização efetiva do curso de Licenciatura Intercultural Indígena do Sul da Mata Atlântica na UFSC e para a melhoria da permanência dos estudantes indígenas na universidade, respeitando suas especificidades culturais.

As demandas emergenciais debatidas foram: ampliação da verba do Prolind (programa do MEC de apoio a cursos de Licenciaturas Interculturais); cota emergencial de vagas para a contratação de professores e técnicos indígenas para atuar no curso; suplementação de recursos para a reforma e melhoria da estrutura física do alojamento e áreas de uso dos estudantes da Licenciatura Intercultural Indígena da UFSC e universalização da Bolsa Permanência MEC para todos os estudantes indígenas da LII.

Na terça-feira, 6 de junho, a reunião foi no Ministério dos Povos Indígenas. Ali a comitiva foi recebida por duas egressas da Universidade: a chefe de gabinete Jozileia Daniza Kaingang, que foi professora e coordenadora do curso de Licenciatura Intercultural Indígena, e a chefe da assessoria especial de assuntos parlamentares e federativos Ana Patté, egressa do curso. Também estavam presentes o professor Eliel Benites, Diretor do Departamento de Línguas e Memória e a professora Altaci Rubim Kokama, da Articulação de Políticas Educacionais para população originária.

Comitiva do encontro no Ministério dos Povos Indígenas

Os integrantes do grupo da UFSC relataram aos representantes do MPI as dificuldades que o curso vem passando e o empenho da UFSC em construir políticas institucionais para os estudantes indígenas que garantam sua permanência com especificidade dentro da Universidade. Além destes temas foram abordadas importantes pautas de combate ao racismo contra os povos indígenas, saúde indígena dentro da UFSC e planejamentos de ampliação da presença indígena com qualidade e especificidade.

 

Matéria relacionada:

Estudantes e lideranças indígenas reúnem-se com o reitor para tratar de moradia

Tags: estudantes indígenasLicenciatura Intercultural Indígena do Sul da Mata AtlânticaUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Professores da UFSC recebem homenagem da Câmara Municipal de Florianópolis

24/05/2023 11:12

Medalha é concedida a pessoas com relevantes serviços prestados à educação superior (Fotos: Edio Helio Ramos/CMF)

O reitor da UFSC Irineu Manoel de Souza e os professores Bernardo Meyer, Grazielly Baggenstoss, Maria Regina de Ávila Moreira, Sérgio Luiz Ferreira e Walter Carpes Jr serão homenageados pela Câmara Municipal de Florianópolis. Eles receberão a Medalha Prof. João David Ferreira Lima, em sessão solene que será realizada nesta quarta-feira, 24 de maio, às 19 horas, no Plenário Vereadora Olga Brasil (Rua Anita Garibaldi, 35 – Centro).

A homenagem se estenderá ao professor Valmir Martins (in memorian), que atuou como docente no Departamento de História da UFSC. Os professores Júlio César Marcellino Jr e Leonardo Secchi, que atuam em outras instituições de educação superior, são também professores externos de programas de pós-graduação da UFSC. Entre os outros homenageados há egressos da Universidade Federal de Santa Catarina.

A Medalha Professor João David Ferreira Lima é uma honraria criada em 2001 com o objetivo de homenagear pessoas que tenham prestado relevantes serviços ao ensino superior no Município de Florianópolis. Cada vereador da capital pode indicar o nome de uma pessoa para receber a distinção.

Os homenageados desta edição são: Abrão Iuskow, Ana Lucia Coutinho, Arnildo Barossi, Bernardo Meyer, Grazielly Baggenstoss, Irineu Manoel de Souza, Júlio César Marcellino Jr, Leonardo Secchi, Maria Regina de Ávila Moreira, Rogério Duarte da Silva, Sérgio Luiz Ferreira, Valmir Martins (in memorian) e Walter Carpes Jr.

 

Tags: Câmara de Vereadores de FlorianópolisMedalha Professor João David Ferreira LimaUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina