Portal da Reitoria
  • RU será desativado para instalação de equipamentos amanhã e quarta-feira

    Publicado em 01/07/2013 às 18:22

    A Administração Central informa que o Restaurante Universitário (RU) será desativado durante os horários de almoço e jantar nos dias 2 e 3 de julho (terça e quarta-feira) em razão da instalação das novas tampas nos caldeirões, essenciais especialmente para o cozimento do feijão e para o pleno funcionamento do RU.

    Conforme nota divulgada no último dia 19 de julho, a empresa produtora dos equipamentos, INECOM, necessitou de um prazo de aproximadamente trinta dias para produzir as novas tampas, comprometendo-se a fazer a instalação nos dias 2 e 3 de julho. A empresa comunicou, ainda, que a instalação seria programada para o período entre 8 e 18h.

    Informamos, ainda, que serão disponibilizados quatro ônibus, partindo do Centro de Cultura e Eventos da Universidade das 11 às 14h, para transportarem os estudantes que possuem isenção no Restaurante Universitário para o Centro de Ciências Agrárias, onde serão atendidos pelo restaurante daquele Centro.

    A Administração Central pede a compreensão de toda a comunidade universitária, lembrando que a segurança e condições adequadas de trabalho são de extrema importância.

    Florianópolis, 1º de julho de 2013.

    Administração Central da Universidade Federal de Santa Catarina


  • UFSC faz consulta formal ao Sinduscon sobre Prédio II da Reitoria

    Publicado em 01/07/2013 às 14:41

    A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), por meio da Pró-Reitoria de Planejamento e Orçamento (PROPLAN), divulga nota do Sindicato da Indústria da Construção Civil da Grande Florianópolis (Sinduscon) sobre a composição dos preços de imóveis e da construção civil (Custo Unitário Básico – CUB) na Grande Florianópolis.

    Consta do documento assinado pelo presidente do Sinduscon, Hélio Bairros, que “o preço real de mercado da região praticado não é de R$1.793,69 como consta na matéria publicada no dia 17 de junho de 2013 nos canais de comunicação do grupo RBS”. Pesquisas mensais realizadas pela entidade apontam que o valor do metro quadrado na região do campus de Florianópolis varia de R$ 3.800,00 a R$ 6.000,00. A escassez de terrenos disponíveis para construção civil é um dos fatores que contribui para a elevação dos preços de mercado.

    Confira o texto completo da nota do Sinduscon.


  • Administração Central divulga laudos sobre valores de mercado do Prédio II da Reitoria

    Publicado em 26/06/2013 às 17:21

    O chefe de gabinete, Carlos Vieira, solicitou ao Conselho de Curadores que ele e os pró-reitores Beatriz Paiva, da Pró-Reitoria de Planejamento e Orçamento, e Antônio Montezuma, da Pró-Reitoria de Administração, participem da próxima reunião do Conselho, que acontece nesta quarta-feira, 27, às 14h30. Os conselheiros irão decidir amanhã se atendem ou não à solicitação. O objetivo é debater o parecer sobre o processo que trata da compra do Prédio II da Reitoria – já disponível integralmente no SPA (Sistema de Processos Administrativos) – e novos documentos, como o laudo emitido pelo engenheiro Norberto Hochheim, professor doutor da UFSC e um dos maiores especialistas brasileiros em avaliação de imóveis, planta de valores genéricos, engenharia de avaliações e análise de investimentos. O professor também produziu uma explicação detalhada sobre o CUB e o preço de venda, a título de esclarecimento.

    “Após tomar ciência da decisão do Conselho de Curadores, em 17 de junho de 2013, sobre o Processo nº 23080.049640/2012-12, a reitora da UFSC solicitou um laudo técnico sobre a metodologia que determinou o valor do imóvel, tendo em vista os questionamentos do Conselho à avaliação realizada pela Caixa Econômica Federal”, explica Vieira. O documento produzido por Hochheim esclarece que “o procedimento metodológico usado na avaliação do Ed. Santa Clara foi correto e seguiu as linhas gerais preconizadas pelas NBR 14653-1 e NBR 14653-2, não tendo sido encontrado nada que desabone o laudo”. “Temos plena convicção de que não há qualquer irregularidade no processo e, por isso, gostaríamos de dialogar com os conselheiros”, explica Vieira.

    Confira os documentos nos links a seguir:


  • Comitês externos do PIBIC e PIBITI finalizam trabalho na UFSC

    Publicado em 21/06/2013 às 10:57

    O trabalho de apreciação das avaliações de propostas para bolsas dos programas de iniciação científica (PIBIC) e iniciação em desenvolvimento tecnológico e inovação (PIBITI) pelos comitês externos, iniciado na quarta-feira, foi finalizado nesta quinta, 20 de junho, com a apresentação de feedback aos presidentes das Comissão de Acompanhamento e Avaliação de cada Unidade Universitária. Este trabalho faz parte do processo de aprovação das propostas para bolsas e tem como objetivo principal identificar possíveis disparidades ou subjetividades na seleção de projetos de pesquisa.

    O comitê externo é formado por consultores do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) que vieram à UFSC para conhecer os projetos e analisar os pareceres das comissões internas. “Esses consultores são professores de diversas universidades e estão divididos em três áreas do conhecimento – Ciências da Vida, Ciências Exatas e da Terra e Ciências Humanas e Sociais –, podendo, assim, avaliar os projetos de acordo com as suas especialidades”, explica a coordenadora de Fomento e Apoio à Pesquisa, Carina Friedrich Dorneles, da Pró-Reitoria de Pesquisa.

    “O papel do comitê externo é garantir a imparcialidade na alocação de bolsas, por isso avalia todo o processo de seleção, se está de acordo com o edital, se todas as exigências do CNPq estão sendo cumpridas, além de analisar os critérios de cada comissão”, complementa a coordenadora.

    O resultado final da seleção de projetos contemplados pelas bolsas do PIBIC e PIBITI deve ser divulgado até 1º de julho. Foram inscritas 1.029 propostas, que já foram julgadas pelas comissões internas. Uma grande amostragem dessas propostas é analisada pelo comitê. “Se for encontrada alguma irregularidade nos pareceres das comissões internas, é de responsabilidade do comitê externo informar ao presidente da comissão, e essas avaliações precisam ser refeitas para que o processo tenha andamento”, explica Dorneles.

    Os critérios de avaliação, a formação das comissões internas e do comitê externo e outras informações pertinentes podem ser acessadas na página do PIBIC na internet (http://pibic.ufsc.br).

    Mayra R. S. Cajueiro Warren/Assessoria de Imprensa/Gabinete da Reitoria/UFSC
    Esta imagem contém um endereço de e-mail. É uma imagem de modo que spam não pode colher. 


  • Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis cancela debate sobre festas previsto para hoje

    Publicado em 20/06/2013 às 11:15

    Foi cancelado o debate público marcado para hoje, às 18h30, no Auditório Teixeirão, do Centro Tecnológico, no qual se discutiria a Resolução Normativa nº 002/CUn/2009, que dispõe sobre a realização de festas nos espaços da UFSC. O presidente da Comissão de Festas, Sergio Luis Schlatter Junior, informa que o cancelamento é em consequência das possíveis dificuldades de mobilidade que podem decorrer da manifestação popular, prevista para hoje, nas vias centrais da cidade. Schlatter Junior também diz que, em breve, uma nova data para a realização do evento será divulgada pela Comissão.

    Gabriela Dequech Machado
    Estagiária na Assessoria de Imprensa do Gabinete da Reitoria


  • Administração Central emite nota sobre funcionamento da UFSC nesta quinta

    Publicado em 20/06/2013 às 10:04

    NOTA À COMUNIDADE UNIVERSITÁRIA

    A Administração Central da UFSC, considerando a possibilidade de manifestação popular amanhã, dia 20 de junho, nas vias centrais da cidade e, em consequência, as dificuldades de mobilidade que possam advir dessa situação, recomenda a todos os setores administrativos e acadêmicos que dialoguem com suas equipes sobre a regularidade de suas atividades administrativas e de ensino e que, com base na razoabilidade pedagógica e institucional, tomem as decisões mais adequadas ao momento.

    Florianópolis, 19 de junho de 2013.

    Administração Central da Universidade Federal de Santa Catarina


  • UFSC adere Programa Nacional de Bolsa-Permanência

    Publicado em 11/06/2013 às 18:01

    A reitora da UFSC, professora Roselane Neckel, assinou no dia 7 de junho o termo de adesão ao Programa de Bolsa-Permanência, ação do Governo Federal que prevê a concessão de auxílio financeiro para estudantes em situação de vulnerabilidade socioeconômica e para estudantes indígenas e quilombolas. O programa é gerido nacionalmente pelo Ministério da Educação (MEC), contando com critérios próprios para a seleção dos bolsistas, que receberão uma bolsa paga diretamente pelo MEC, por meio de um cartão semelhante ao do Bolsa Família. Os recursos são oriundos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

    O valor nacional da bolsa concedida pelo MEC é de R$ 400, sendo que quilombolas e indígenas receberão pagamento em dobro. O MEC esclarece que essa diferença acontece em razão das especificidades desses grupos étnicos, “com relação à organização social de suas comunidades, condição geográfica, costumes, línguas, crenças e tradições, amparadas pela Constituição Federal”.

    Para ter direito ao auxílio concedido pelo MEC, o estudante em situação de vulnerabilidade deve preencher uma série de pré-requisitos, como ter renda familiar per capita mensal não superior a um salário mínimo e meio e estar matriculado em curso cuja carga horária média diária seja igual ou superior a cinco horas, critérios que não se aplicam aos indígenas e quilombolas. Segundo o MEC, o cálculo da carga horária diária é feito dividindo-se a carga horária total do curso pelo número de dias letivos. Vale lembrar que o número de dias letivos é obtido multiplicando-se o número de semestres do curso por 100.

    “O requisito da carga horária diária elevada foi um ponto muito questionado durante a 53ª reunião do Fórum Nacional de Pró-Reitores de Assuntos Comunitários e Estudantis (FONAPRACE), realizada recentemente em Brasília, pois em todas as IFES são poucos os cursos de graduação que têm essa carga diária exigida pelo MEC”, explica Lauro Mattei, pró-reitor de Assuntos Estudantis.

    O FONAPRACE questionou oficialmente, junto à Secretaria de Educação Superior do MEC, em 16 de maio de 2013, a exigência da carga horária. Segundo esse fórum, tal critério causa a quebra da equidade do Programa. No Ofício nº 002/2013/-CN, afirma-se que ocorre “Quebra da equidade ao estabelecer carga horária como critério de seleção excluindo a quase totalidade dos alunos dos cursos de graduação em situação de vulnerabilidade socioeconômica. Considerando que o objetivo do PBP no seu Art. 3º, inciso I é ‘viabilizar a permanência, no curso de graduação de estudantes em situação de vulnerabilidade socioeconômica’, entendemos que este critério deva ser o eixo norteador do PBP”. 

    Cabe ressaltar que a proposta do MEC também foi objeto de discussões e críticas em reunião da Andifes que contou com a participação da reitora Roselane Neckel. Com isso, foram feitas várias modificações na proposta original, como a permissão do acúmulo e da complementariedade do valor da bolsa, além da não exigência de contrapartida de horas de trabalho.

    Para o MEC, uma das vantagens do programa é permitir o acúmulo do benefício com outras modalidades de bolsas acadêmicas, a exemplo da bolsa do Programa de Educação Tutorial (PET), do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica etc.

    A adesão, por parte do acadêmico, à Bolsa Permanência do MEC é opcional. Todavia, para que o estudante participe do programa é necessário que sua universidade também tenha aderido.

    No caso da UFSC, um levantamento preliminar mostrou que dez cursos de graduação atendem aos pré-requisitos estabelecidos pelo programa, sendo oito deles do campus de Florianópolis, um do campus de Curitibanos e um do campus de Araranguá. Assim que o sistema eletrônico do programa estiver disponível aos estudantes, a PRAE fará a divulgação.

    Com a criação do novo programa, o Conselho Universitário deve atualizar a resolução da Bolsa-Permanência em vigor na UFSC (Resolução nº 015/CUn/2007). “Teremos de discutir, inclusive, a questão da complementação dos valores pagos pelo MEC, já que, hoje, a nossa bolsa permanência tem um valor mais alto”, explica Sérgio Schlatter Junior, diretor de Assuntos Estudantis. “Mas, por enquanto, nossa política de permanência continua a mesma. Estamos realizando todos os estudos necessários para que o programa do MEC acrescente ao fortalecimento orçamentário para a assistência estudantil na UFSC”, explica Schlatter Júnior.

    Existem diversos pontos distintos entre o Programa de Bolsa-Permanência do MEC e o da UFSC, os quais serão discutidos por uma comissão presidida pelo pró-reitor de Assuntos Estudantis, professor Lauro Mattei. Caberá ao Conselho Universitário a decisão final do assunto.

    Para saber mais sobre o Programa Bolsa-Permanência do MEC, o interessado deve acessar o site http://prae.ufsc.br/bolsa-permanencia-mec/.

    Saiba mais: Governo dará auxílio financeiro para estudantes de baixa renda